Artesanato Indigena

A Arte e o Artesanato Indígena Brasileiro
A Arte e o Artesanato Indígena Brasileiro

A Arte e o Artesanato Indígena Brasileiro

300x250

A arte indígena se confunde com a cultura brasileira, que é resultado da miscigenação de vários grupos, dentre eles, os índios.

Cerâmica, máscaras, pintura corporal, cestaria e plumagem resultam em uma arte tradicional comum: a arte indígena que, inclusive, e exclusivamente, utiliza partes de animais.

A cerâmica é um exemplo de arte que não está presente em todas as tribos indígenas, mas ainda assim é famosa.

A cerâmica marajoara, por exemplo, cujo nome advém do local onde ela teve origem (a Ilha de Marajó), é conhecida no exterior e foi a primeira arte de cerâmica brasileira.

As tintas utilizadas na arte indígena são geralmente naturais, ou seja, são feitas de plantas e frutos e, alguns tipos de artes, como a arte plumária, por exemplo, são desenvolvidas, na maior parte, por homens.

A arte plumária passa por um ritual: primeiro a caça, passando pelo tingimento (a chamada tapiragem), pelo corte nas formas desejadas e amarração.

A Arte Indígena é um Patrimônio Sócio-Cultural de um Povo que Viveu a Raiz do Brasil

Povo Indígena
Povo Indígena

A arte e o artesanato indígena brasileiro são feitos daquilo que compõe cada hectare de terra brasileira.

Apreciar uma peça de arte indígena é apreciar uma pequena parte do Brasil moldada em um utensílio do povo que se originou nesse vasto país.

Tudo o que chamamos de arte e artesanato indígena brasileiro são muito mais utensílios que propriamente arte para ser apreciada, o que difere a arte indígena para as demais expressões de arte.

A utilidade da arte indígena é um diferencial para a arte contemporânea. A arte indígena é muito mais do que uma arte, é uma utilidade.

Confunde-se muito arte indígena e artefato indígena pelo fato da utilização do produto final. A principal diferença é o foco na utilização dos objetos em relação à arte contemporânea.

Penas, tinta, palha e argila são apenas quatro dos materiais mais utilizados pelos indígenas nas confecções de seus utensílios que se tornaram a arte que representa a selva em física e essência.

A definição de arte plumária agrupa, entre outros, o ato de pendurar penas no corpo como enfeite, o que chamou, em demasia, a atenção dos colonizadores e da própria corte portuguesa quando chegaram ao Brasil pela primeira vez, sendo levada à Europa como símbolo de conquista do território americano.

Foi assim que a arte plumária brasileira ganhou notoriedade no Velho Continente e, por ser um artesanato exótico e diferenciado, acabou se alongando durante a linha do tempo e sendo apreciada até os dias de hoje.

VEJA  Arte Indígena Brasileira e o Trançado

Já a cerâmica é, talvez, o utensílio-artístico indígena mais mencionado em textos e teses sobre o assunto arte indígena, juntamente com a confecção de pulseiras e esteiras, que estão inclusas na arte da cestaria indígena.

A confecção utilizando penas e trançados tem se tornado cada dia mais popular, tendo os jovens da época e de hoje em dia como os principais apreciadores desse artesanato indígena.

O que é muito bacana, porque manter a arte e utensílios indígenas vivos é uma forma de perpetuar a memória de um povo que esteve aqui antes do descobrimento do Brasil, por Pedro Álvares Cabral.

Os Primeiros Artesãos

Índios fazendo cestas
Índios fazendo cestas

No Brasil, o artesanato surgiu no período neolítico (6.000 a.c), quando o homem aprendeu a polir a pedra, a fabricar a cerâmica e a tecer fibras animais e vegetais.

Podemos pensar nos índios como os nossos mais antigos artesãos, já que, quando os portugueses descobriram o Brasil, encontraram aqui a arte da pintura utilizando pigmentos naturais, a cestaria e a cerâmica – sem falar na arte plumária, isto é, cocares, tangas e outras peças de vestuário ou ornamentos feitos com plumas de aves.

O artesanato brasileiro é um dos mais ricos do mundo e garante o sustento de muitas famílias e comunidades.

O artesanato faz parte do folclore e revela usos, costumes, tradições e características de cada região.

O artesão é aquele que, através da sua criatividade e habilidade, produz peças de barro, palha, tecido, couro, madeira, papel ou fibras naturais, matérias brutas ou recicladas, visando produzir peças utilitárias ou artísticas, com ou sem uma finalidade comercial.

São artesãos e artesãs: talhadores, gravadores, escultores, pintores, ceramistas, rendeiras, bordadeiras, tecelãs, aqueles que criam instrumentos musicais, bijuterias e peças de madeira para uso diário, cestas, gamelas, colchas de retalhos e brinquedos, entre outras coisas.

Em muitos casos, quando os objetos produzidos não têm um caráter utilitário, isto é, são feitos apenas para serem apreciados, o artesanato se confunde com a arte.

Alguns Exemplos Característicos do Artesanato Brasileiro

Artesanato brasileiro
Artesanato brasileiro

A cerâmica é uma das formas de arte popular e de artesanato mais desenvolvidas no Brasil. Dividida entre cerâmica utilitária e figurativa, essa arte feita pelos índios misturou-se depois à tradição barrista europeia, e aos padrões africanos, e desenvolveu-se em regiões propícias à extração de sua matéria-prima – o barro.

A arte e o artesanato em madeira produzem objetos diversificados com motivos como a natureza, o universo humano e a fantasia.

Bahia - 300x250

Utensílios como cocho, pilão, gamela e móveis simples e rústicos, também são produzidos artesanalmente, mas o maior produto artesanal em madeira – contando com poucas partes de metal – é, com certeza, o carro de bois.

VEJA  Artesanato Indígena e Cestaria

A arte de trançar fibras, deixada pelos índios, inclui esteiras, redes, balaios, chapéus, peneiras e outros.

No artesanato de cestas e trançados, destacam-se as tribos do alto Amazonas e Solimões, influenciados pelos povos andinos.

Cada grupo ou tribo indígena tem seu próprio artesanato. Os adornos e a arte plumária são outro importante trabalho indígena.

As Artes Indígenas Brasileiras

Artes Indígenas Brasileiras
Artes Indígenas Brasileiras

No Brasil há uma grande diversidade de tribos indígenas e, no geral, elas se destacam na arte da cerâmica, trançado e enfeites corporais.

O conceito de arte é estranho aos índios, uma vez que os povos indígenas não têm uma palavra que designe “arte”.

A principal diferença entre a arte indígena e a arte contemporânea ocidental talvez seja o fato da primeira possuir um caráter tradicional, ensinado e passado de geração para geração, além do forte utilitarismo que o permeia.

Outra diferença entre a chamada arte indígena e arte ocidental é que a segunda geralmente busca o desfrute estético, através de sua existência.

Já a arte indígena quase sempre tem a finalidade de ser utilizada como um artefato, é dotada de um significado mais prático, não apenas para ser visto e apreciado.

Os materiais utilizados nas artes indígenas são os que a natureza oferece: madeiras diversas, caroços, fibras, sementes, cipós, folhas de palmeiras, frutos, palhas, resinas, couros de animais, plumas coloridas, ossos, dentes, garras e conchas, dentre outros.

As máscaras indígenas têm caráter duplo, uma vez que são artefatos produzidos por homens, mas representam entidades sobrenaturais, como deuses, por exemplo.

A pintura corporal e a arte plumária servem para enfeites: mantos, máscaras, cocares, e passam aos seus portadores elegância e majestade.

Esta é uma arte muito especial, porque não está associada a nenhum fim utilitário, mas apenas a pura busca da beleza.

Geralmente, a arte indígena manifesta-se através de cânticos, vestuários, utensílios, pintura corporal, escarificação e perfuração da pele, danças, entre outros, sendo estes raramente produzidos com o intuito de serem arte propriamente dita.

Podemos dizer que, na sociedade indígena, não existe uma delimitação entre arte e atividade puramente técnica.

De mesma forma, encontram-se aspectos rituais na produção dos artefatos que são, antes de tudo, artísticos.

Cada povo indígena tem uma maneira própria de expressar suas obras, por isto dizemos que não existe arte indígena, e sim artes indígenas.

As artes indígenas diferem-se muito das demais produzidas em diferentes localidades do globo, uma vez que manuseiam pigmentos, madeiras, fibras, plumas, vegetais e outros materiais de maneira muito singular.

VEJA  Artesanato Indígena de Porto Seguro

Nos relacionamentos entre diferentes povos, inclusive com o branco, os artefatos produzidos são objetos de troca, sendo até utilizados como uma alternativa de renda.

As Principais Manifestações Artísticas das Artes Indígenas

Artes Indígenas
Artes Indígenas
  • A pintura corporal para os índios tem sentidos diversos, não somente na vaidade, ou na busca pela estética perfeita, mas pelos valores que são considerados e transmitidos através desta arte.
  • O uso de plumas na arte indígena se dá de dois modos: para colagem de penas no corpo e para confecção e decoração de artefatos como, por exemplo, as máscaras e os colares.
  • A confecção de instrumentos de pedra (ex.: machadinhas) fora de extrema importância no passado indígena, mas, nos dias atuais, os índios não mais costumam produzir artefatos em pedra devido à inserção de instrumentos de ferro, que se mostraram mais eficientes e práticos, embora algumas tribos ainda utilizam estes artefatos para ocasiões especiais.
  • Vários artefatos são produzidos com madeira, como ornamentos, máscaras, banquinhos, bonecas, reprodução de animais e homens, pequenas estatuetas, canoas, entre vários outros.
  • A fabricação de artefatos de cerâmica não é característica de todas as tribos indígenas. Entre os Xavantes, por exemplo, ela falta totalmente, em algumas, sua confecção é bastante simples, mas o que é importante ressaltar é que, por mais elaborada que seja a cerâmica, sua produção é sempre feita sem a ajuda da roda de oleiro.
  • Os desenhos e as pinturas, em geral, são acompanhados de outras formas de arte.
  • Entre várias tribos de índios, é possível observar algumas representações, partes de rito, que poderiam facilmente evoluir no sentido de um teatro.
  • O jenipapo fornece um suco de cor azulada muito utilizado como corante para tintura em tecidos, artefatos de cerâmica e tatuagem.

Conclusão

A arte está presente em cada momento de vida dos povos indígenas no mundo todo. Em cada objeto, em cada ritual, em cada gesto, a arte surge como expressão de força e conexão com o mundo místico e espiritual.

Cada povo tem sua habilidade e forma de materializar em objetos de arte as necessidades do dia a dia ou dos rituais.

A arte plumária (que faz colares, cocares e também é usada na decoração dos armamentos) ainda é a mais conhecida e admirada por sua exuberância e riqueza.

E a música também é parte do vasto universo cultural dos vários povos indígenas que habitaram e habitam o Brasil.

Compartilhe Esta Página: