Artesanato Indigena

A Arte e o Artesanato Indígena Brasileiro
A História do Artesanato Indígena

A História do Artesanato Indígena

Os índios foram os mais antigos artesãos. Eles utilizavam a arte da pintura, usando pigmentos naturais, a cestaria e a cerâmica, sem esquecer a arte plumária, como os cocares, tangas e outras peças de vestuário feitos com penas e plumas de aves.

A madeira também é uma manifestação cultural muito utilizada pelos índios nas suas construções de armas, utensílios, embarcações, instrumentos musicais, máscaras e bonecos.

Já a arte de trançar fibras dos índios inclui esteiras, redes, balaios, chapéus, peneiras e outros. Quanto à decoração, os objetos de trançados possuem uma imensa variedade, explorada através de formas geométricas, espessuras diferentes, corantes e outros materiais.

Esse tipo de artesanato indígena pode-se encontrar espalhados em diversas regiões do Norte e Nordeste do Brasil, como na Bahia, Mato Grosso, Maranhão, Pará e o Amazonas.

Cada grupo ou tribo indígena tem seu próprio artesanato. E cada trabalho indígena é importante para a história do artesanato indígena.

Até mesmo as flautas e chocalhos, que foram desenvolvidos como passatempo ou para rituais sagrados, são importantes trabalhos indígenas.

É comum confundirmos artesanato indígena com rusticidade, mas é importante observar que, neste regime de trabalho, fazem-se tantos objetos rústicos como bem acabados, pois o artesanato indígena se define pelo processo de produção de objetos e não pelas qualidades práticas que podem ser emprestadas a este no ato de fazer.

 

O Trabalho do Índio Artesão

O trabalho artesanal indígena é individual e, através dele, as tribos sobrevivem em muitas regiões, principalmente nas áreas distantes dos grandes centros urbanos.

O artesanato indígena é de extrema beleza e de grande valor artístico, pois representa a expressão cultural do povo indígena brasileiro.

Já na época do descobrimento do Brasil, os portugueses ficaram impressionados com a beleza deste tipo de arte, que utiliza os elementos da natureza para a transformação em objetos de enfeite ou utensílios domésticos.

VEJA  Artesanato Indígena da Amazônia ou Artesanato Indígena Amazonense

Todas as peças fabricadas por eles são relacionadas ao seu passado, baseadas no que acreditam e remetem ao seu folclore a as suas tradições.

Para o índio, fazer arte é praticar, exercitar e experimentar o espírito coletivo e, o artesanato indígena no Brasil não se deu de uma hora para outra, foi se desenvolvendo ao longo dos anos a partir dos acontecimentos diários e dos ritos cerimoniais.

Em cada etnia, é possível destacar importantes atribuições indígenas, como a arte com as plumas.

Na arte da cerâmica, é possível dividi-la em duas partes: a utilitária, em que são feitas panelas, vasos e outros utensílios domésticos, e a figurativa, encontrada nas esculturas de animais, nas máscaras e em outros objetos em que o desenho está presente.

Nos dois artesanatos, os índios utilizam a tinta para enfeitar as peças.

As Principais Características do Artesanato Indígena na História

A grande diversidade de artesanato indígena do Brasil, representado pelas cestarias, cerâmicas e adornos para o corpo, possuem papel importante no desenvolvimento dessa arte em questão.

Mas, por incrível que pareça, para os índios, o conceito de arte não é muito bem definido, uma vez que eles não possuem em seu dialeto uma palavra especifica para designar arte.

A arte indígena tem costume extremamente tradicional, ou seja, é doutrinado e ensinado entre as várias gerações.

Sem falar que a sua utilização é completamente prática. Quer dizer, é feita para ser usufruída, e não simplesmente para ser observada.

E cada tribo é constituída das suas próprias tradições e crença. Por isso, o que realmente importa no artesanato indígena no Brasil é permanecer com os mesmos pensamentos e costumes herdados, bem como toda a simbologia enraizada em cada peça e reconhecida através das marcas profundas deixadas nessas obras.

VEJA  JAGUAR HUICHOL

A arte indígena é um patrimônio sócio-cultural de um povo que viveu a raiz do Brasil, que sobreviveu e fez sua arte daquilo que compõe cada hectare de terra brasileira, com o uso das penas das aves que aqui voavam, das plantas para extrair as tintas e da terra para produzir as belas peças de cerâmica.

Apreciar uma peça de arte indígena é apreciar uma pequena parte do Brasil moldada em um utensílio do povo que se originou nesse vasto país.

A Diferença da Arte Indígena Para as Demais Expressões de Arte

A utilidade da arte indígena é um diferencial para a arte contemporânea. Percebe-se que, ao especificar os tipos de objetos produzidos pelos indígenas, veem-se semelhanças em todos: cada um tinha uma função.

Não eram simples peças com o intuito de decorar ou de expressão sentimental. Tinham, claro, tal função, porém com a característica diferenciada de ser utilizada no dia a dia dos indígenas.

A arte indígena é muito mais do que uma arte, é uma utilidade. Confunde-se muito arte indígena e artefato indígena pelo fato da utilização do produto final, após pintura e molde dos jarros e trançado das cesteiras.

A principal diferença é o foco na utilização dos objetos em relação à arte contemporânea. Penas, tinta, palha e argila são quatro dos materiais mais utilizados pelos indígenas nas confecções de seus utensílios que se tornaram arte.

A pena de aves silvestres, as tintas oriundas do extrato de plantas nativas, a palha vinda da selva e a argila vinda direto do chão pisado pelos índios durante suas peregrinações pela terra.

A arte indígena vem diretamente da selva e representa a selva em física e essência. A cerâmica é, talvez, o utensílio-artístico indígena mais mencionado em textos e teses sobre o assunto arte indígena.

VEJA  Colares Indígenas e Seus Significados

Devido à beleza estética e sua vasta utilidade, a cerâmica indígena caiu no gosto dos portugueses colonizadores da época e, ainda hoje, é aclamada por apreciadores desse estilo artístico tão diferenciado.

Para fazer os objetos de cerâmica, as índias da tribo coletam, nos períodos de seca, o barro das margens dos rios e misturam componentes orgânicos e mineiras à argila para dar uma boa liga, cozinham e obtém a vasilha rígida e pronta para utilização.

A cultura rica dos índios deve ser sempre preservada como um patrimônio brasileiro, afinal, são os brasileiros de raiz.

E manter sua arte e utensílios é uma forma de perpetuar a memória de um povo que esteve aqui antes do descobrimento do Brasil, por Pedro Álvares Cabral.

Afinal, atualmente, ainda existem cerca de 3 centenas de etnias de índios no Brasil e todas elas ainda praticam a arte indígena, inclusive com partes de animais.