Artesanato Indigena

A Arte e o Artesanato Indígena Brasileiro
Artesanato Indígena de Porto Seguro

Artesanato Indígena de Porto Seguro

Você sabia que existe uma Feira de Artesanato Indígena Pataxó em Santa Cruz de Cabrália, em Porto Seguro?

Em uma única rua você encontra vários produtos artesanais feitos pelos índios Pataxós sendo vendidos em simpáticas cabanas no estilo Ocas.

Peças em madeira, bijuterias e cocares feitos com sementes coloridas… Luminárias em diversos modelos e tamanhos feitas em palha…

Além de biquínis, camisetas, lembrancinhas, etc… tudo sendo vendido em cabanas no estilo ocas!

A Feira de Artesanato Indígena Pataxó fica no município de Santa Cruz de Cabrália (a poucos km do centro de Porto Seguro).

Se você vai para Porto Seguro, ou se você já está em Porto Seguro, com certeza, um dos lugares a ir é a Feira de Artesanato de Coroa Vermelha.

Coroa Vermelha, que guarda uma comunidade indígena pataxó, tem uma enorme feira de artesanato, com uma boa variedades de coisas para comprar em Porto Seguro.

A feira possui desde lembrancinhas baratas para comprar até artesanato indígena e muitas lojas de roupas com moda praia.

Fotos dos Índios Pataxós em Porto Seguro / Bahia

Em Porto Seguro, você pode conhecer como vive uma tribo indígena de verdade! O passeio pela aldeia dos Índios Pataxós em Porto Seguro é um dos mais procurados da cidade e o turista tem a opção de passar um dia inteiro ou pernoitar.

No local, os índios realizam palestras, mostram o funcionamento de armadilhas, como atirar com arco e flecha e levam os visitantes para uma caminhada na mata.

Os 8 Melhores Lugares Para Encontrar Artesanato em Porto Seguro – BA

  1. Passarela do Álcool (Avenida do Descobrimento, S/N)
  2. Rua do Mucugê
  3. Cidade Histórica (Rua Dr Antônio Ricaldi, 78 – Próximo ao Vela Branca Resort Hotel, há 3km, Taperapuan)
  4. Trancoso (Estr. do Trancoso, Arraial D)
  5. Centro histórico (Av Beira Mar, 230)
  6. Coroa Vermelha Praia Hotel (Av Beira Mar, 12649)
  7. Arraial D’Ajuda Eco Resort (Ponta do Apaga fogo, 60)
  8. Praia do Mucugê (Estr. para Mucugê, 539)

A Reserva Pataxó Aldeia Velha

A Aldeia Velha é uma aldeia indígena da etnia Pataxó e fica localizada em Arraial D’Ajuda, município de Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, a 720 km de Salvador.

VEJA  Artesanato Indígena e os Colares

Abrange uma área de 2010 hectares, sendo que 80% dela são de mata nativa e uma área de manguezal com cerca de 10 km.

Em seu começo, tinha apenas doze famílias com mais ou menos sessenta pessoas. Atualmente há 227 (duzentos e vinte e sete) compondo mais ou menos novecentos e noventa moradores.

A aldeia é gerenciada pelo cacique juntamente com as lideranças que tomam as decisões junto à comunidade e vivem do artesanato, agricultura e outros prestam serviços à rede de turismo na região.

A escola na aldeia nasce da necessidade da comunidade e das crianças que ali residiam, por isso foi uma preocupação constante de Ipê (o 1° cacique da aldeia) e teve inicio suas atividades no dia 06 de fevereiro do ano de 1999, em uma cabana na reserva da Aldeia Velha, onde funcionavam dois turnos com aproximadamente 20 alunos das primeiras 12 famílias aldeadas.

No ano 2000, passaram para a área de moradia da aldeia, lecionaram na farinheira e depois na casa do cacique ipê em 2001 e 2002.

Em 2003, tiveram uma sala de aula construída pela FUNAI, sendo ampliada em 2005, no final do mesmo ano houve uma reforma por parte do Estado.

De 1999 a 2004, lecionaram da 1° a 4° serie, incluindo o EJA. Em 2005, implanteram a alfabetização, já em 2006 a 2007 implantaram a 5°, 6º, 7° e 8° em 2008 na modalidade EJA.

A Escola Indígena Pataxó da Aldeia Velha fica localizada no centro da aldeia com infra-estrutura adequada com 04 salas de aula, uma biblioteca, espaço administrativo, almoxarifado, cozinha e banheiros.

Atualmente, estudam 185 alunos, cursando o ensino fundamental nos três turnos. No contexto histórico, obtiveram vários parceiros e a BAILUX entrou juntamente com o ponto de cultura, ITJ e escola.

Para mostrar um pouco da historia e realidade, como estão vivendo junto à informática, se apropriando desses meios tecnológicos para reafirmar a cultura indígena Pataxó, ao mesmo tempo em que podem compartilhar seu modo de vida no meio virtual.

Mostrando que não perderam a essência de sua cultura, apesar de mais de 511 anos de contato com os não índios.

VEJA  Artesanato Indígena - Arco e Flecha

Pela proximidade que a Aldeia fica do Arraial D’ajuda, eles ficam muito vulneráveis ao contato com os não índio e seus costumes.

Então, começou a ser uma preocupação constante verificar um espaço onde pudessem estar mais protegidos destas influências, ao mesmo tempo em que estariam resgatando e afirmando a sua cultura indígena Pataxó.

Então, viram que a mata poderia ser um local de roteiro turístico, foi quando procuraram algumas empresas de turismo.

Inclusive aproveitaram a trilha que era usada para irem até as ocas dos parentes, passavam pelo córrego até a chegada da farinheira, além dessas foram feitas mais duas trilhas.

Nesse espaço, tem duas cabanas, um banheiro e uma cozinha, onde são feitos os trabalhos de afirmação cultural e são recebidos os visitantes, estudantis e outras entidades.

A Reserva Indígena da Jaqueira, em Porto Seguro

Porto Seguro, sendo o berço do Brasil, possui um diferencial espetacular com relação a todos os outros destinos brasileiros.

Só em Porto Seguro você poderá conhecer e vivenciar a legítima cultura indígena, os habitantes originais dessas terras, que está muito bem representada na Reserva Indígena Pataxó da Jaqueira, localizada a apenas 12 quilômetros do centro da cidade, a reserva preserva a história e os costumes dos índios Pataxó, e proporciona ao turista uma experiência única, daquelas que nos fazem rever valores e lembrar pelo resto da vida.

Os visitantes têm, assim, a possibilidade de conhecer um pouco da vida de uma comunidade indígena, com a vantagem de não precisar embrenhar-se mata adentro enfrentando os perigos de uma aventura radical.

Logo na recepção, índios recebem os turistas com o corpo pintado como manda a tradição, e enfeitados pelos tradicionais e coloridos cocares e demais adereços, atraindo os ávidos cliques das câmeras dos turistas entusiasmados.

Antes do início do passeio, palestras interativas contam um pouco da história do povo Pataxó. O valor arrecadado na venda dos ingressos e do artesanato, produzido pelos próprios índios, forma a renda das 30 famílias que lá habitam, oferecendo, assim, um belo exemplo de turismo sustentável.

O turista se encanta com os colares de sementes coloridas, brincos tribais, pulseiras étnicas, tudo produzido com matérias-primas encontradas na região habitada pela tribo.

A cerâmica também é outra arte dominada pelo povo Pataxó, e as peças comercializadas costumam agradar em cheio aos que procuram um presente diferenciado e com personalidade.

VEJA  Artesanato Indígena da Região Norte

Durante o passeio, é possível fazer uma leve caminhada por uma trilha de 1,5 km dentro da reserva, permitindo, assim, a observação de espécies raras de árvores nativas, como o pau-brasil, de animais ameaçados de extinção e até mesmo das armadilhas usadas pelos índios para a captura de pequenos animais.

O contato constante com a natureza chama a atenção durante toda a visita, e é uma experiência que vai repercutir na memória por muito tempo.

Ao final do passeio, o visitante tem a oportunidade de experimentar a culinária indígena. O famoso “peixe assado na folha da patioba”, cuja fama já ganhou as terras de além mar, é preparado com o mesmo ritual e ingredientes que as tribos indígenas usam no seu dia a dia.

Impossível resistir à tentação de provar dessa iguaria, por isso, renda-se, deixe-se levar e saboreie com gosto!

No caminho de volta à sede do município, repare na paisagem à sua esquerda! Repouse seu olhar nas águas calmas do Atlântico e vai entender uma das razões para que Porto Seguro tenha abundância de turistas desde que Cabral ali aportou suas naus!

Mas não se apresse, cada coisa tem seu tempo. Não faltará oportunidade para que você confirme que Porto Seguro é um lugar Para Viver e Ser Feliz!

Com certeza, você será muito bem-vindo.

A Arte indígena de Porto Seguro

Como todos os outros povos indígenas do Brasil, a história dos Pataxós corresponde a um passado de muita luta, sofrimento, alegrias e conquistas, que transformaram a rica cultura dos índios baianos numa das tribos mais reconhecidas do nosso país.

Seus artesanatos são feitos a partir de madeiras, sementes, palha, argila e outras diversas matérias primas disponibilizadas pela natureza.

A pintura corporal, por exemplo, tem grande valor cultural para os pataxós, pois representa parte da história do povo, e está relacionada aos seus principais rituais sagrados.

O artesanato é uma das maneiras do povo pataxó manter viva a cultura; é no artesanato que os pataxós criam o que foi aprendido com os antepassados, cada artesanato tem um significado e um jeito para ser usado.